Blog page
O6POE4
Segurança das informações: senha fraca leva até Mark Zuckerberg a ser vítima de hackers
5 (100%) 1 voto

Falar sobre a segurança das informações na internet é sempre despertar um friozinho na barriga dos leitores quando exemplificamos casos de crimes cibernéticos e discorremos sobre situações de exposição da imagem, invasão de privacidade e calúnias.

Mas, diante da realidade de que a internet faz parte do nosso cotidiano e tudo acontece nessa “terra de ninguém”, que nos últimos tempos tem sido “organizada” por buscadores como o Google – para reunir e divulgar o melhor conteúdo para os seus usuários – você vai se sentir mais confiante e seguro ao entender que atitudes simples e preventivas vão dar a você segurança para compartilhar suas informações na internet.

Mecanismos que garantem a segurança das informações em seu site

Em se tratando de site e sistema de gestão de informações da empresa, para manter as informações seguras de roubos e crimes cibernéticos, é importante manter-se atualizado sobre o que há de novo na tecnologia para o setor de TI de sua empresa, realizar testes de segurança todos os dias e localizar o que podem ser falhas para invasão.

Servidores e sites devem ser analisados e protegidos por meio de três mecanismos que vão auxiliar na proteção de dados, como acontece com o sistema de gestão imobiliária, Fantástiko:

  1. Utilização de Firewall: dispositivo de segurança (software e hardware) que controla o bloqueio e liberação da conexão com o servidor, a partir das regras de segurança pré-definidas;
  2. Criptografia de dados: técnicas e regras que vão criptografar a escrita tornando-a ilegível, mais um obstáculo para o caso de tentativa de roubo de informações;
  3. Implementação de HTTPS – a internet identifica que as informações estão criptografadas por meio desse protocolo e certificado de segurança digital.

Você faz a sua parte: senhas difíceis para aumentar a segurança das informações

Vale ressaltar que em diversas situações de falha na segurança de informação muitas vezes essas falhas são de responsabilidade do próprio usuário, por se descuidar de sua senha ou ainda fornecê-la de maneira descontrolada ou por não atualizá-la para que seja uma senha forte.

O especialista em segurança das informações e coordenador de infraestrutura de TI, Márcio Júnior, enfatiza que “não adianta você ter um site todo seguro, servidor, aplicativo, banco de dados e tudo mais, se a sua senha for fraca”.

São consideradas senhas fracas:

  • Senhas pequenas;
  • Senhas que contêm palavras ou datas relacionadas ao usuário.

O recomendado para a segurança é:

  • Senhas com no mínimo 12 caracteres;
  • Senhas com caracteres especiais: @#$%&*.

Exemplificando as dicas, Márcio explica que a senha: jasd@#$2 pode ser quebrada por meio da “força bruta” pela tentativa e erro realizada por um sistema, que gasta em média três horas. Já a senha: meuCachorro@éamarelo$ levaria 174,654,362,652,973,380,000,000,000,000 de anos para ser quebrada, além de ser uma senha fácil para lembrar e que contém caracteres especiais em sua composição.

Senha insegura é problema até para personalidade da tecnologia!

No início deste mês, o Twitter e Pinterest do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg foram hackeados por conta de um erro que é cometido pela maioria de nós, seres humanos, na internet: senha fraca. E além disso, a senha era a mesma para ambas as redes sociais.

A invasão foi divulgada pelos próprios hackers no próprio Twitter de Zuckerberg, cuja senha estava entre as que foram vazadas no caso de violação de dados na rede social Linkedin em 2012, na época mais de 120 milhões de contas foram hackeadas.

O sigilo é aliado na segurança das informações

Em um ambiente online a as informações ficam organizadas e armazenadas “nas nuvens” de maneira que possam ser acessadas de qualquer lugar, a qualquer momento. E nesse momento de acesso é importante atentar-se para outros pequenos detalhes que fazem parte do “check list de segurança”:

  • Não acesse as informações de qualquer dispositivo ou desktop;
  • Certifique-se de que o anti-vírus esteja atualizado;
  • Não forneça sua senha para ninguém;
  • Mude-a sempre de período em período.

Ao proteger a sua senha lembre-se de que tanto o TI e empresa de hospedagem de seu site e sistema de gestão, quanto você, trabalham em equipe para que a senha esteja em sigilo. Mas, a sua colaboração vai mais além: é importante evitar downloads na máquina onde é feito o acesso para que ameaças como o “Cavalo de Tróia” não sejam salvas no computador. Caso sejam detectadas, o anti-vírus precisa estar atualizado para que sejam excluídas da maquina.

Legislação de segurança das informações em ambiente online e a colaboração do Google

A lei 12.737 de 30 de novembro de 2012, chamada de Lei Carolina Dieckmann, qualifica e esclarece quais são os crimes cibernéticos ou informáticos e penaliza quem comete atos de invasão de informações sigilosas ou comunicações eletrônicas privadas com pena de seis meses a dois anos, além de multa.

Recentemente, o Google lançou a série de vídeos abaixo para ajudar os usuários a manterem suas informações seguras e ainda para ensiná-los a navegar na internet controlando o conteúdo que será navegado, além de detectar “softwares malignos”, chamados Malware, para que o computador não seja invadido.

Como evitar ser vítima de uma “ataque de engenharia social”?

 

Esqueceu a senha do e-mail? Redefine-as imediatamente!

 

Como usar a verificação da conta em 2 etapas quando o celular não funciona

 

Três dicas para detectar malwares (vírus e outros programas maliciosos)

 

Como ter o controle do conteúdo que a minha família navegará na internet?

Com essas atitudes e dicas você está mais seguro para navegar na internet e manter suas informações em segurança também. Mas, como não é possível ter essa segurança 100% garantida, a principal atitude é ser precavido com as informações que compartilha, ter todo o cuidado com as senhas de sistemas que gerencia e utilizar de todos os recursos de privacidade e segurança disponíveis.

Acesso em wi-fi (rede pública): cuidado com sua senha!

Assista a um case gravado pelo programa CQC em que a então repórter, Mônica Iozzi, vai a um restaurante acompanhada por um hacker, que invade redes sociais e contas de e-mail acessadas por pessoas que estão conectadas na rede pública do restaurante. Você vai querer mudar as suas senhas antes mesmo da reportagem acabar, assista clicando AQUI.

Para concluir e você alterar agora mesmo suas senhas, e ainda repassar suas ações de proteção às suas informações, lembre-se de nunca criar senhas curtas, nunca passar o acesso (login e senha) para terceiros, não use a mesma senha para todos os acessos que você precisa realizar na internet e seja cauteloso ao utiilizar redes públicas de wi-fi, bem como máquinas que correm o risco de terem malwares e vírus.

Você tem dúvidas sobre o assunto? Já teve problemas com a segurança das suas informações? Comente logo abaixo!